últimas notícias

Liverpool cai perante o Fulham, perde a 6ª seguida em Anfield e atinge pior recorde da história 🤯


Mario Lemina marcando o gol da vitória do Fulham — Foto: Getty Images

Liverpool cai perante o Fulham, perde a 6ª seguida em Anfield e atinge pior recorde da história 🤯


Por Valentin Furlan, em Liverpool (ING)

07/03/2021 12h53

 

No fim da manhã deste domingo, o Liverpool recebeu o Fulham no histórico Anfield e, para surpreender um total de 0 (zero) pessoas, foi derrotado por 1 a 0. O resultado marcou o sexto revés seguido para o clube jogando em casa, algo que jamais ocorreu em toda a história.


Além da queda de rendimento em campo, os Reds vêm caindo também na tabela. Hoje, o time não iria sequer para a fase preliminar da Europa League, figurando na 7ª colocação, com 43 pontos, e jogos a mais que West Ham, Everton e Chelsea, que estão à frente. O Fulham, já na parte de baixo da classificação, finalmente empata em pontos com O Brighton, que perdeu na rodada, e pode sair do Z3 já na próxima rodada.



Zaga... reserva?

 

Para o confronto, Jürgen Klopp resolveu mudar. E mudou muito. O treinador dos Reds resolveu poupar grande parte do time titular para o jogo de volta das oitavas de final da Liga dos Campeões - a partida de ida, na Hungria, teve mando do RB Leipzig, mas terminou em 2 a 0 para os ingleses.


O quarteto defensor a ir a campo foi: Andrew Robertson, Rhys Williams, Nathaniel Phillips e Neco Williams, que teve partida complicada, sofrendo com as passagens de Lookman pela esquerda, sobretudo no primeiro tempo. Acabou substituído por Alexander-Arnold na etapa final.



No Z3, mas invencíveis!

 

O Fulham chegou ao oitavo jogo seguido sem derrotas, jogando fora de casa pela Premier League. O time empatou seis vezes, é verdade, mas conquistando pontos importantes para a ascensão do time de Scott Parker nesta reta final de Campeonato Inglês.



Resumão

 

Conforme esperado, o Liverpool foi superior na etapa final. O que, certamente, causou espanto, foi uma postura tão passiva durante os primeiros 45 minutos. Neco Williams realmente sentiu a pressão de Lookman pela esquerda, mas, curiosamente, o gol saiu pela direita, com chute cruzado de Lemina, no último lance da primeira etapa. E, naturalmente, o time se fechou no segundo tempo, oferecendo poucos espaços para a equipe de Jürgen Klopp, que até acertou a trave e pressionou, mas não pôde furar o bloqueio londrino e perdeu a sexta partida em Anfield.


Lemina, após o tento do jogo contra os Reds — Foto: Getty Images

1° tempo

 

Foi muito bom para os visitantes, que souberam pressionar a zaga novata dos Reds exatamente a onde vinham mostrando fraquezas: pelas laterais. O titular Robertson, naturalmente, fazia corpo mais duro e dificultava o trabalho de Lemina pela direita. Contudo, Neco Williams, sem a mesma experiência, não conseguiu se impor a Lookman e sofreu com bolas alçadas às suas costas. Apesar disso, o gol saiu do lado do lateral titular, com Lookman. O inglês recebeu acertou chute forte e seco no cantinho de Alisson, que se esticou, mas nada pôde fazer.


Alisson tenta se esticar, mas não evita abertura do placar em casa — Foto: Getty Images


2° tempo

 

Com o já citado recuo programado pelo treinador Scott Parker, o Liverpool creseceu momentaneamente na partida e não teve poucas chances para tentar o empate. Contudo, não tinha em Salah, Shaqiri e Diogo Jota, que acabava de voltar de lesão, um trio confiante o bastante para tentar jogadas mais plásticas e petulantes. O time não teve poderio ofensivo avassalador, conforme mostrou ao longo das últimas temporadas, e não conseguia completar as boas jogadas criadas. No final das contas, o lance mais perigoso ficou com Mané, que entrou nesta etapa, completando cruzamento de Keita de cabeça na trave do goleiro Areola. Nem a pressão final surtiu efeito. 1 a 0 para o Fulham.


Salah tenta partir em arrancada, durante contra-ataque — Foto: Getty Images


E agora?

 

O Liverpool volta a campo na próxima quarta-feira (10), quando recebe o RB Leipzig, neste mesmo Anfield, quando tentará concretizar a vantagem de 2 a 0 para confirmação de vaga às quartas de final da Liga dos Campeões. Fora das competições continentais, o Fulham tem a semana livre e deve aprimorar as questões técnicas e táticas com Scott Parker, a fim de manter o embalo para sair da zona do perigo. O problema é que o time enfrenta o Manchester City, no sábado (13), no Craven Cottage.