últimas notícias

GP da Áustria: O que a telemetria nos diz da sexta-feira de treinos livres

Veja a análise completa dos dados coletados durante os treinos que abrem o segundo fim de semana em Spielberg

Por Valentin Furlan — Spielberg, Áustria

02/07/2021 18h24

 

Em mais uma sexta-feira na Áustria, a nova gama de pneus realmente provou poder fazer a diferença. Além disso, a chuva permanece nos radares das equipes, que foram ao asfalto em duas sessões de treinos para conseguir o máximo de informação antes do Treino Classificatório. Por isso, vamos ao que foi coletado durante os treinos livres 1 e 2, que abriram o fim de semana do GP da Áustria...

Sergio Pérez, durante treino livre —Foto: Red Bull Racing

+ Com Ferrari no top 3, Max Verstappen lidera o 1° Treino Livre

+ Com dobradinha da Mercedes, Hamilton lidera a segunda sessão de treinos

Ritmo de classificação

Começando pelo ritmo de Treino Classificatório, que será disputado às 10h (de Brasília) deste sábado (03), o RB16B de Verstappen se mantém à frente, seguindo vitória incontestável no último fim de semana, quando manteve diferença na casa dos quatro segundos para o 2° colocado, Hamilton. A grande diferença foi a ascensão da Mercedes.

Diferença de tempos para a Red Bull, em ritmo curto, a partir de dados adquiridos nos treinos livres — Foto: Fórmula 1

"Acho que [neste fim de semana] será muito apertado", disse Max. "Eles [Mercedes] definitivamente melhoraram. Então, sim, vamos ver amanhã no Treino Classificatório. Mas, claro, o mais importantes com esses compostos mais macios é deixá-los inteiros até o fim da corrida, o que será um desafio", comentou ao fazer referência à decisão da Pirelli de introduzir duas gamas diferentes de pneus para as duas rodadas na Áustria.

E Max está certo. A Mercedes, de fato, melhorou. Na verdade, o que se esperava era um pouco de mistério, já que a equipe alemã vem demonstrando problemas com o aquecimento de pneus e, portanto, deveria ser beneficiada com uma gama mais macia neste fim de semana. Mas, como tudo na Fórmula 1, não é assim tão simples assim. A região do autódromo conta com um clima extremamente volátil, o que ocasionou em uma diferença de 10°C entre a temperatura deste fim de semana para a da semana passada na região. Se chover, a equação fica ainda maior, uma vez que o asfalto esfriaria consideravelmente; por outro lado, a água também poderia se tornar um empecilho para Max imprimir o mesmo domínio do último encontro.

Valtteri Bottas (à frente) participa do TL2, ao lado de Lewis Hamilton — Foto: S. Etherington / Mercedes-AMG Petronas

"[O carro estava] muito melhor do que na semana passada", disse Bottas após o TL2, onde terminou 189 milésimos atrás de Hamilton, no 2° lugar da tabela de tempos.

Outra equipe que surpreendeu foi a Aston Martin. Com Lance Stroll e Sebastian Vettel terminando, respectivamente, em ótimos 4 ° e 5° lugares, ficou claro que a equipe vem em uma ascensão e pretende seguir subindo degraus neste fim de semana. A performance terá que seguir até amanhã no Qualifying, contudo, sessão que vem sendo problema para a equipe nos últimos GPs.

Ainda no meio-campo, a AlphaTauri pode ter causado estranhamento apenas no 5° lugar, mas vale destacar que a equipe focou suas atividades de sexta-feira no desenvolvimento do tiro longo, como você verá a seguir. "Havia várias coisas que queríamos testar nos tiros longos, tentando entender os pneus e o ritmo de corrida, do meu lado", explicou Gasly. Ou seja, o ritmo imprimido não necessariamente – e provavelmente não – representa o fiel ritmo de classificação da equipe. Aguarde bons tempos para o TL3.

Um pouco mais acima, McLaren e Ferrari seguem travando disputa destemida pelo posto de 3ª equipe da temporada. Para alcançar o objetivo, a equipe londrina enseja que necessita da boa forma de Daniel Ricciardo o mais rápido possível. A Ferrari, por outro lado, aposta nos bons momentos vividos na última corrida, mas visa a melhorar no sábado – as posições de largada da equipe não têm sido boas, conforme avaliação interna.


Ritmo de corrida

A diferença por milésimos de segundo mostrada no gráfico abaixo nada comprova entre Mercedes e RBR: a decisão, de fato, ficará para domingo. No entanto, se alisar que a diferença entre as duas chegou a ser de dois décimos por volta neste quesito, é uma bela investida da equipe alemã em exterminar a diferença. Claro, ainda é cedo para cravar qualquer coisa e o 3° Treino Livre deve dizer mais, mas o ritmo está aí.

"[Estou] cuidadosamente otimista", disse Toto Wolff após a segunda sessão de treinos. "Eu espero mais potência [da Red Bull] vindo por aí. Mas nós melhoramos em alguns aspectos e isso é encorajador".

Intervalo entre Mercedes (mais rápida) e outras equipes do grid, em tiros longos — Foto: Fórmula 1

Olhando um pouco mais atrás, a Ferrari mais uma vez mostrou que um bom Treino Classificatório pode realmente ser o que falta para a equipe engrenar. A diferença para a McLaren quase encostou na casa dos três décimos – uma eternidade, já que serão novamente 71 voltas no Grande Prêmio de domingo.

"Na realidade, não foi tão ruim. Eu estou um pouco surpreso com a posição [no 2° Treino Livre]. Só ficamos devendo um pouco", disse Daniel Ricciardo, que terminou o TL2 em 15° lugar. "Não há nada que pareça estar fora do lugar com o equilíbrio do carro. Deve ser um pouco de tudo."

Por fim, AlphaTauri, Alpine, Alfa Romeo e Aston Martin tornam tudo em aberto na briga pelo top 10, a zona de pontuação. Ainda, fica a expectativa para a Williams, que chegou muito perto de pontuar com George Russel no Grande Prêmio da Estíria, mas não aparece como candidata clara à primeira parte do grid no domingo. A esperança da equipe reside em um bom lugar no grid de largada, onde a equipe realmente tem se mostrado forte na temporada.

Voltas ideais

Esta é a parte mais simples possível: a soma dos melhores mini-setores de cada piloto. Portanto, não envolve voltas únicas, mas, sim, uma média geral do que cada piloto produziu.

Apesar de ter ficado atrás de Bottas, Verstappen segue no mesmo patamar do finlandês e na cola de Hamilton — Foto: Fórmula 1

É aqui que o ponto sobre a Aston Martin segue. Lance Stroll realizou potencialmente uma das melhores corridas da sua carreira no último domingo, apesar de ter dito o contrário, e manteve a finesse nesta sexta-feira. A diferença para Vettel, seu companheiro de equipe, foi grande, mas há de se complementar que a briga no meio-campo é completamente indecifrável, com 10 ou 11 carros na briga. Mais, nada que apague o ótimo desempenho dos dois companheiros nesta sexta.

"É sexta-feira", lembrou Vettel, sorrindo. "Talvez fomos mais agressivos do que os outros, mas é definitivamente bom. Eu aceito. Tentamos algumas outras coisas também... Vamos ver amanhã. [Chegar ao] Q3 é o nosso objetivo."

Sergio Pérez também surpreendeu, mas por outro motivo. Após aparentar finalmente ter se encontrado na nova equipe, o mexicano teve apenas a 14ª melhor volta ideal, cerca de sete décimos atrás do companheiro Verstappen. Contudo, Checo até aqui não demonstrou ritmo muito consistente nas sessões de treino e, durante toda a sua carreira, sempre provou que o forte é o domingo.

Assim, entramos no sábado com absolutamente nada definido. Se na semana passada o domínio foi da Red Bull, nesta semana a Mercedes parece ter aprendido com alguns erros e ter se adaptado melhor à pista. Verstappen e Pérez, no entanto, seguem com um material forte e apostam nas atualizações e nos ajustes para o 3° Treino Livre para mais uma vitória em solo austríaco. No meio-campo, a coisa pouco muda de figura, com um incrível bolo de talentosos pilotos buscando poucas posições.

Soma-se a isso a possibilidade de chuva, a nova gama de pneus e as tantas voltas deletadas por exceder os limites da pista, e temos o cardápio posto para o Treino Classificatório deste sábado.