últimas notícias

De Jong: o que esperar?

Atualizado: 7 de jun. de 2019

Contratado em janeiro, ele agora se junta definitivamente ao elenco do Barça

De Jong em ação pelo ex-clube Ajax — Foto: Getty Images

Contratado na janela de inverno europeia, o holandês de 22 anos chega à Catalunha sem total aprovação (obviamente) do mundo do futebol: recentemente, em entrevista ao FOX Sports da Holanda, o ex-técnico do Man Utd , Louis van Gaal afirmou achar difícil que o jogador se firme no meio-campo do time espanhol devido aos seus sérios concorrentes. Veja a declaração abaixo:


"Acho que vai ser difícil para ele lá. Não só porque talvez tenha um papel diferente, mas porque terá que disputar com outros jogadores para ser titular. Teve sorte que o Barcelona tenha sido eliminado nas semifinais da Liga dos Campeões, já que o status do clube é outro".

O treinador completou:


"Acho que ele é um bom jogador, mas Ivan Rakitić também é. E há cinco anos, quando eu estava no Manchester United, quis contratar Arturo Vidal".

van Gaal em Old Trafford, quando ainda comandava os Red Devils — Foto: Reuters

Apesar de tais incertezas por parte do técnico holandês, o clube catalão parece ter encarado o negócio com outros e melhores olhos: foram aproximados R$325 mi gastos para ganhar a corrida contra grandes da Europa (PSG e Man City eram uns dos candidatos) e tirar o jogador da Holanda.



Agora, deixando toda a ladainha de escanteio, vamos ao que interessa: o que esperar? Se por um lado temos um Barcelona com um meio-campo de jogadores de qualidade inquestionável, temos também que admitir a necessidade do time em investir em promessas, uma vez que Busquets, Vidal, Rakitić já passaram dos 30 e podem pensar logo numa aposentadoria.

Taticamente falando, é um jogador para dar mais ritmo ao meio catalão que, por algumas vezes na temporada, se mostrou lento e pouco vertical. Logo, indo contra van Gaal, caso colocar um desses três já citados no banco, não há motivos para se surpreender.

Contudo, entretanto, todavia, De Jong não parece apresentar as características de um jogador que, uma vez em campo, dá aquele "up" ao time. Semelhante ao que se passou com a Argentina de Sampaoli na Rússia, falta ainda alguém para dividir a "responsa" com Messi, tendo em vista que Luis Suárez e nosso Coutinho, menino Couto, na Champions, por exemplo, somam apenas 1 gol (Suárez, contra o Liverpool, no jogo de ida, em Barcelona, pela semifinal). Em suma, o time de Valverde ainda deve voltar às compras nesta janela.

2 comentários