últimas notícias

🔥 Com polêmica no fim, Real domina primeiro tempo, evita reação do Barça e vence El Clásico quente


Benzema celebra primeiro gol da vitória do Real Madrid sobre o Barcelona, por 2 a1, no Estádio Alfredo Di Stéfano — Foto: Getty Images

Por Gabriel Lins — Madri (ESP)

 

Em jogo de dois tempos distintos, o Real Madrid venceu o Barcelona no Alfredo Di Stéfano por 2 a 1. Benzema e Kroos marcaram para os donos da casa e Mingueza descontou para a equipe catalã. Agora, o Real Madrid tem a mesma pontuação do Atlético de Madrid, 66 pontos, mas com um jogo a mais. Enquanto isso, o Barcelona segue com 65 pontos, podendo ver a desvantagem para o Atleti crescer para 4 pontos.

As equipes iniciam a partida de forma muito agressiva, pressionando a saída de bola do adversário. E, por isso, apresentavam dificuldades de achar espaços. Até que, aos 13 minutos de jogo, o Real Madrid abriu o placar. Valverde puxa da direita para o meio e abriu espaço para Lucas Vásquez avançar e cruzar para Benzema fazer um belo gol de letra e colocar o time merengue na frente. Após o gol, o Barcelona buscava sair para o jogo, mas esbarrava em erros de passe e na boa marcação do Madrid. Enquanto isso, o Real , com equipe mais encaixada, explorava bem a faixa central, com Benzema, e o lado esquerdo, com Vinícius Júnior. E foi justamente com o brasileiro que surgiu a jogada do segundo gol merengue. Aos 28, Vinícius fez boa jogada individual e sofreu a falta na entrada da grande área. Na cobrança, a bola testada por Kroos desvia no em Dest e morre no fundo do gol de Ter Stegen. E o Real, em contra-ataque, ainda iria chegar mais uma vez. Vinícius é lançado pelo lado esquerdo e rola pra Valverde na direita, que bate cruzado e acerta a trave direita do Ter Stegen. Já no final da primeira etapa, o Barcelona assustou com um quase gol olímpico de Messi. A bola acertou a trave direita de Courtois.


De modo geral, o Real Madrid foi bem superior na primeira etapa. Com menos posse de bola, a equipe merengue impedia o ataque do Barcelona, no 5-4-1 defensivo de Zidane, com Valverde recuando e formando a linha de 5 para evitar o avanço e liberdade de Jordi Alba e com a compactação do trio de meio-campistas para não deixar espaços para circulação de Lionel Messi. Com a bola, o Real Madrid aproveitava muito bem a velocidade pelos lados para contra golpear a equipe catalã., seja com Vinícius Júnior pelo lado esquerdo, ou com Lucas Vásquez e Valverde pelo direito.


Com o Barcelona quase que inteiramente anulado no primeiro tempo, Koeman mexeu na equipe colocando o Griezmann no lugar do Dest, passando a atuar num 4-3-3, tentando dobrar o lado esquerdo para facilitar a chegada do Alba. E foi justamente com a participação do lateral esquerdo que o Barcelona diminuiu. Aos 14, Alba cruzou a bola passou pela defesa do Madrid e Mingueza, de canela, colocou o Barcelona de novo na partida. E, mais solto e com mais liberdade, o time se lançava ao ataque buscando o empate. Por outro lado, assumia riscos e deixava espaços para a equipe madrilenha golear.


Ainda assim, com Messi em noite pouco inspirada, os catalães tiveram dificuldades de concretizar a reação, já que o camisa 10 era bem vigiado pelo trio de meio-campistas do Real.


Messi teve noite difícil em Madri — Foto: Getty Images

O final de jogo foi completamente emocionante e polêmico. O Barcelona reclamou bastante de um puxão de Mendy em Braithwaite, dentro da área. O árbitro, apesar de muito cercado pelos jogadores blaugranás, não marcou o pênalti e não recebeu chamado do VAR para checar o lance. E, já no último lance da partida, com o Barcelona indo pro tudo ou nada, graças à expulsão de Casemiro aos 44 minutos do, o time ainda acertou o travessão, com o jovem Moriba.


Mas mesmo sendo melhor na segunda etapa, não conseguiu criar o suficiente para buscar um resultado melhor.