últimas notícias

Palmeiras melhora na etapa complementar e empata com o Bahia

Arthur Caíke abriu o placar, aos 46' do primeiro tempo, de falta; Borja empatou para o Porco, aos 25'


Elenco palmeirense celebrando gol de Borja — Foto: Jhony Pinho/AGIF

Bahia e Palmeiras se enfrentaram na Fonte Nova, em Salvador, na tarde deste domingo (17), às 16h. O Bahia buscava a redenção, já que estava há 6 jogos sem conseguir sair de campo com o placar a seu favor. O Palmeiras, por um outro lado, seguia a caça ao Flamengo. No fim, o empate ficou ruim para ambos os clubes.



Resumão


O Palmeiras teve dificuldades na primeira etapa e foi indubitavelmente dominado pelo time de Roger Machado, que conseguiu abrir o placar através de falta cobrada por Arthur Caíke, aos 46', depois de parar em Weverton, durante os 45 minutos inciciais. No período complementar, Mano Menezes realizou algumas mudanças que mudaram a cara do Palmeiras, que conseguiu rodar mais a bola e criar algumas boas chances. O Bahia se segurou lá atrás e tentou sair no contra-ataque. Contudo, em jogada de lindo lançamento de Dudu, Borja empatou para o Porco.



Primeiro tempo


Foi de domínio baiano. O Palmeiras começou com uma finalização de Zé Rafael, logo no primeiro lance. No entanto, o Bahia não se assustou e conseguiu impor velocidade e cadência no meio-campo. Foi um time muito vertical e ofereceu muito perigo à equipe paulista sobretudo com Gilberto e Élber, mas sempre parando no goleiro Weverton, que vem fazendo atuações muito seguras e, assim como em jogos anteriores, foi um dos melhores jogadores do time. Apesar disso, Arthur Caíke conseguiu abrir o placar, batendo falta de curta distância: a bola passaria pelo meio da barreira do time alviverde e desta vez não daria para Weverton. Com o gol sendo feito no último lance da primeira etapa, fomos para o intervalo com vitória parcial do time da casa.


Jogadores do Bahia comemorando a abertura do placar, com Arthur — Foto: Malcon Robert/AGIF



Segundo tempo


Assim como na etapa inicial, o Palmeiras começou ameaçando o gol de Douglas Friedrich, mas agora com Borja, batendo rente à trave esquerda. Perdendo por um gol e fazendo um primeiro tempo muito abaixo, o técnico Mano Menezes efetuou duas substituições, tirando Deyverson para a entrada de Borja e mandando Lucas Lima a campo no lugar de Gustavo Scarpa. À princípio, Borja e Deyverson teriam a mesma função, mas a grande mudança foi a presença de Lucas Lima efetivamente no meio, dando mais qualidade à criação de jogadas da equipe palmeirense, que, por sua vez, conseguia girar a bola pelo campo ofensivo. Assim, conseguiu criar a primeira chance mais clara: Dudu fez bela jogada e rolou no meio para Bruno Henrique. Mesmo praticamente sozinho e frente ao goleiro, o volante do Porco chutou por cima. O Bahia tentava o contra-golpe, Fernandão entrou no lugar de Gilberto e Élber, machucado, teve que dar lugar à Lucca para justamente tentar dar mais velocidade às transições do time nordestino. Com isso, o Palmeiras tinha mais campo para avançar e conseguiu pressionar. Tanto o fez que encontrou o gol de empate. Aos 25', Bruno Henrique toca para Dudu, no meio. O ponta fez um belo lançamento para Zé Rafael rolar para Borja bater entre Douglas e a trave. William também teve boa chance cara a cara, mas mando pra fora.



Diga lá...


Fernandão, atacante do Bahia:


"A gente fica com essa sensação triste de que dava pra sair daqui com o triunfo, mas o importante também é somar, a gente somou mais um ponto".

Zé Rafael, meia palmeirense:


"No segundo tempo, a gente voltou e teve o controle do jogo, praticamente. Tivemos mais volume, mais chances. Acabamos empatando o jogo, mas é seguir na luta, porque o campeonato ainda não acabou."


E agora?



O Bahia continua com a seca de vitórias, ampliando a marca negativa para 7 jogos seguidos. O time tem 44 pontos e é o 9° colocado. O Palmeiras, no topo da tabela, é o vice e vê o Flamengo se distanciar. O time paulista tem 68 pontos conquistados.


Dudu com a posse, durante etapa inicial — Foto: Jhony Pinho/AGIF