últimas notícias

Hamilton diz "dificilmente" usar o simulador e achar "sem sentido" reconhecimento a pé do circuito


Hamilton se prepara para o Grande Prêmio da Espanha, do qual acabou campeão — Foto: Lars Baron / Getty Images

O heptacampeão mundial Lewis Hamilton afirmou não ter interesse em usar simuladores - disse dar apenas 20 voltas por ano, em média -, além de comentar não ser fã do reconhecimento das pistas a pé antes dos fins de semana, ao andar ao redor do circuito com mecânicos.

LEIA - Christian Horner: "Precisamos desesperadamente" que Pérez alcance o ritmo de Verstappen

"Dificilmente uso o simulador", disse o piloto da Mercedes, em entrevista à Sky Sports F1. "Talvez faça umas 20 voltas por ano. Eu não me interesso pelo simulador."

Quanto ao reconhecimento 'presencial' do asfalto, Lewis também contou não ter muita crença no processo.

"Eu era acostumado a andar pelo circuito quando era mais jovem, mas o que acabei percebendo, para mim, se tratava de um exercício sem sentido. É muito diferente do que estar em alta velocidade", disse o atual campeão. "Era perda de energia. Meu fim de semana se trata de poupar energia para que eu possa fazer meu trabalho."

Além disso, Lewis também comentou todo o processo envolvido na preparação para o Treino Classificatório. Como você já sabe, o inglês conseguiu sua 100ª pole position na Espanha, no último fim de semana.

"Você vem trabalhando nisso desde quinta e sexta-feira e no sábado de manhã [3° Treino Livre], você tenta basicamente encontrar as últimas peças do quebra-cabeça, mas sem colocá-las em ordem ainda. Aí, chega a hora do Treino Classificatório e você não tem escolhas: ou já juntou todas as peças ou não - você tem que montar o quebra-cabeça", contou.

"Então você fica estudando as voltas dos anos passados, as que você deu, as de seus adversários... É simplesmente trabalhar para ter certeza de que deu tudo de si."