últimas notícias

Abiteboul nega contato da Renault com Red Bull para voltar a ser fornecedora de motores

  • Equipe francesa, contudo, pode se aproveitar de apêndice no livro de regras para a temporada

  • Abiteboul: "Posso confirmar que não houve absolutamente nenhuma conversa sobre esse assunto"


Cyril Abiteboul, durante GP da Hungria, em 2019 — Foto: LAT Images

A Renault pode voltar a ser a fornecedora de motores da Red Bull e da AlphaTauri. Depois do anúncio de que deixará a Fórmula 1 após 2021, a Honda deixou uma lacuna aberta para um novo contrato com a equipe de Milton Keynes.


O time francês era justamente o antecessor da fabricante japonesa no acordo para ceder as unidades de potência. A parceria firmada desde 2007 foi terminada há dois anos, por problemas relacionados à potência enfrentados por ambas as equipes no início daquela temporada. Ainda, a season ficou marcada por problemas de relacionamento entre os chefes de equipe das duas equipes, Cyril Abiteboul e Christian Horner.


Ainda, há um apêndice no livro de regras da categoria que explicita que a fornecedora de motores com menos contratos com equipes no grid é quem deverá ceder o material à equipe que não tiver mais escolhas - a Mercedes tem acordo com quatro equipes e a Ferrari, três. A futura Alpine não cederá mais o material à McLaren, que fechou com a construtora alemã, e está sem clientes.


Contudo, Abiteboul não confirmou nenhuma conversa e desmentiu qualquer contato com a RBR sobre o assunto.


"Posso confirmar que não houve absolutamente nenhuma conversa sobre esse assunto", afirmou ao Autosport.

"Obviamente é um pouco mais detalhado. Precisamos ser procurados e ainda não fomos procurado, e segundamente existem circunstâncias muito específicas, incluindo o tempo, para que isso aconteça. Ainda estamos longes dessa janela, que não se dá antes do próximo inverno [verão, no hemisfério sul]", completou.


Por fim, o chefe de equipe comentou a saída da Honda da categoria.


"Eu sabia que eles precisavam confirmar suas posições até 2021 e este provavelmente era o tempo para que o fizessem. Talvez a falta de confirmações já fossem uma orientação, porque quando eu vejo o quão avançados estamos nos designs de 2022, eu imagino que tenha sido de fato alguma indicação", encerrou.