últimas notícias

Com emoção no fim, Hamilton vence, Norris se recupera e Ferraris batem: a história do GP da Estíria

  • Com Hamilton-Bottas, Mercedes consegue primeira dobradinha do ano

  • Veja todos os destaques da corrida


Por Saulo Bastos e Valentin Furlan — Spielberg, Áustria


Hamilton celebrando vitória na Áustria — Foto: Clive Mason / Formula 1

RESUMÃO


Apenas uma semana após o GP de abertura do Mundial de Fórmula 1 2020, o circuito de Spielberg, localizado na Áustria, conhecido como Red Bull Ring, recebeu a segunda etapa do campeonato, neste domingo (12).


Após um Qualifying emocionante e disputado de baixo de muita chuva, que teve o inglês Lewis Hamilton da Mercedes como o melhor classificado, ao anotar o tempo mais de 1,2s superior ao tempo obtido pelo segundo colocado, Max Verstappen da Red Bull, era grande a expectativa sobre como a prova aconteceria, principalmente a largada, que seria com pista seca e Verstappen prometendo partir para cima de Hamilton para tomar a ponta.



A LARGADA


Lewis largou bem e manteve a liderança. Max, por outro lado, vinha embalado, mas sofrendo com duro ataque de Sainz, que começava em terceiro. Apesar disso, as posições foram mantidas. Contudo, no pelotão intermediário, havia mais emoção: era o início do fim da corrida para a Ferrari. Na curva 6, Charles Leclerc não calculou a velocidade do seu bólido e acabou atingindo Sebastian Vettel e destruindo a asa traseira do alemão. O incidente causou a única entrada do Safety Car na prova, que acabava para a escuderia, já que o monegasco, ao bater em seu companheiro de equipe, causou sérios problemas em seu assoalho. Um fim de semana para a Ferrari esquecer.



George Russel (Williams) vinha disputando a 11ª colocação com Sergio Pérez (Racing Point) quando perdeu o controle do seu carro e acabou passeando pela caixa de brita, caindo para a última posição e acabando com qualquer esperança de pontos da equipe do Reino Unido.



A CORRIDA


Com 20 voltas de prova, Bottas (Mercedes) e Albon (Red Bull) já haviam superado Sainz (McLaren) e ocupavam as terceira e quarta posições. As duas Renault também apresentavam excelente rendimento e vinham em sexto sétimo, com Ocon e Ricciardo, respectivamente. As Racing Points, realizavam uma prova de recuperação, com Stroll ocupando a 8ª posição e Perez a 9ª, após largarem no fim do pelotão.


Hamilton seguia firme na liderança, fazendo voltas mais rápidas em sequência. Na volta 25, Verstappen fez seu pit stop, substituindo os pneus macios pelos médios, retornando na terceira colocação, logo à frente de Albon, seu companheiro de equipe. A volta 26 também marcou o abandono prematuro de Ocon, que levou seu Renault aos boxes para que seu carro fosse recolhido à garagem. Pouco tempo depois Hamilton fez sua parada, também substituindo seus pneus macios pelos médios, retornando à pista no mesmo ritmo que estava antes de parar.


Com a ida de Lewis ao pit lane, Bottas assumiu provisoriamente a liderança e assim seguiu até a volta 34, quando finalmente colocou os pneus médios. O finlandês retornou em terceiro, atrás de Verstappen, porém com pneus mais novos iniciou uma caça ao arrojado piloto da Red Bull, baixando a diferença volta a volta. Alexander Albon realizou sua parada na 36ª volta, mantendo a quarta posição. Um pouco mais atrás, Ricciardo, Perez e Norris seguiam sem parar nos boxes e apostando em uma estratégia diferente dos demais pilotos.


Enquanto isso, uma excelente disputa interna entre as Racing Point acontecia na volta 46, quando então Sergio Pérez conseguiu superar Lance Stroll e assumir o sexto lugar.


Pérez vivia um momento excelente na prova, marcando as voltas mais rápidas em sequência e alcançando rapidamente Daniel Ricciardo, única Renault na prova no momento, e realizando a ultrapassagem com certa facilidade. Agora, o mexicano buscava alcançar Alexander Albon para brigar pela quarta posição. Stroll tentou a ultrapassagem, porém Ricciardo conseguia se defender bem e manter a posição.



+ Veja a classificação completa e atualizada do Campeonato Mundial dos pilotos e dos construtores


+ GP da Estíria: Leclerc é penalizado por incidente no Qualyfying e perde posições no grid



Também acontecia uma briga caseira entre a McLaren. Melhor para Norris, que na volta 62 ultrapassou Sainz e assumiu a oitava posição. Ainda haveria mais adrenalina guardada para o inglês.


A seis voltas do fim, Hamilton seguia tranquilo na liderança, com uma vantagem de mais de 10 segundos sobre Max, que sofria um forte ataque de Bottas. A volta 66 foi disputada roda a roda ente os dois pilotos e, já na volta seguinte, Bottas foi mais eficiente e assumiu a segunda posição.


Se tudo estava resolvido para o pódio, não podíamos dizer o mesmo pela batalha pelo quinto lugar. Stroll e Norris acabaram deixando Ricciardo para trás na virada, à medida em que o australiano foi para fora da pista e caindo para oitavo. Ainda, na última curva, o piloto da McLaren conseguiu ultrapassar Sergio Pérez, que caiu para a sexta colocação. Os quatro pilotos cruzaram a linha de chegada juntos, praticamente.


Hamilton cruzando a linha de chegada, ao fim do Grande Prêmio da Estíria — Foto: Mercedes-AMG F1


O RESULTADO DA PROVA


Posições finais do GP da Estíria — Foto: FOM / Reprodução

+ Veja a classificação completa e atualizada do Campeonato Mundial dos pilotos e dos construtores


+ GP da Estíria: Leclerc é penalizado por incidente no Qualyfying e perde posições no grid



E AGORA?

A temporada 2020 segue com os motores ligados! Já no próximo fim de semana, com início das atividades na sexta-feira (17), com os treinos livres 1 e 2, os pilotos voltam ao asfalto na Hungria, após duas semanas em Spielberg. O ZonaMista.net, claro, fará a cobertura completa do fim de semana!