últimas notícias

Cam Newton é mais uma tacada de mestre de Bill Belichick

  • Quarterback assina com os Pats por um ano

  • "New England só tem a ganhar com esse acordo"


Por Luiz Belotti — Foxborough, EUA


Cam Newton na sideline, quando ainda defendia os Panthers — Foto: Jeremy Brevard / USA Today

Parecia mais um domingo tranquilo de quarentena no mundo do futebol americano, em um período em que os times estão focados em como realizar os training camps e se irão conseguir se preparar da melhor forma para a temporada. No entanto, eis que surgem duas notícias.


A primeira dava conta de uma punição para o time da Nova Inglaterra, depois de mais um caso de espionagem: durante a última temporada, um funcionário da equipe foi pego filmando a sideline dos Bengals uma semana antes de as franquias se enfrentarem. Foi decidido que o time de Bill Belichick pagaria uma multa de cerca de 1 milhão de dólares e que nenhum membro de equipe cinematográfica poderia filmar os jogos desta temporada. Ainda, o time perdeu uma escolha de terceira rodada para o Draft de 2021.


Essa notícia poderia cair como uma bomba informando um futuro incerto na divisão. Com a perda de jogadores importantes, sendo o principal deles Tom Brady, tudo parecia estar dando errado para Belichick, mas ainda existia uma carta na manga: Cam Newton.


Existe um ditado na NFL que diz "enquanto alguns General Managers jogam damas, Bill Belichick joga xadrez". Apesar de escolhas duvidosas nos últimos Drafts e a montagem do elenco estar longe de ser perfeita, a escolha por Cam chega perto dessa perfeição. O ex-Carolina tem talento e isso é inegável. Nenhum time conquista quinze vitórias em uma temporada e nenhum jogador é nomeado MVP sem um motivo. A equipe dos Panthers de 2015 encantou a liga, em uma nova onda de quarterbacks mais móveis, que saíam do pocket com facilidade.


Newton correndo com a bola, pelos Panthers — Foto: Chris Trotman / Getty Images

Desde então, sempre que questionado, Belichick apontava Cam como uma das principais armas contra o todo poderoso New England, parecia não haver como parar o camisa 1.


Isso sendo dito, os Patriots só tem a ganhar com essa chegada. O contrato gira em torno dos 7,5 milhões de dólares (cerca de R$ 41 milhões), sendo apenas 1,5 milhões (mais de R$ 8 milhões) destes garantido. Um impacto mínimo no salary cap da franquia. Ainda, caso Cam jogue mal nesta temporada (e é algo prudente: o jogador vem de duas lesões mais sérias, uma no ombro e uma no pé), o prejuízo financeiro será extremamente baixo. Se o QB cavar lugar no time, o lucro é ainda maior: pagar pouco por um jogador desacreditado e que deu um retorno imediato em campo é sinônimo de vitória.



Qual o impacto da contratação na divisão?


Depende de qual Cam veremos em campo. Não é garantido que ele seja titular. O signal caller chegará para aprender o esquema de jogo, se adaptar, provar que pode jogar em alto nível e que superar as suas últimas lesões. A divisão ainda está em aberto, com um ótimo time dos Bills, que trouxe mais armas para o ataque, com Steffon Diggs, e um time em reformulação dos Dolphins, que tem uma defesa sólida, que conta com diversos ex-New England, e um novo quarterback, Tua Tagovailoa, que vem com muitas expectativas.



O que será do futuro de New England com Cam?


Essa foi a jogada de mestre de Belichick. Com Newton jogando bem, os Patriots têm a oportunidade de oferecer um acordo maior e com mais dinheiro garantido e estruturar o seu teto salarial. Se jogar mal, o jogador vira mais uma vez agente livre e dá à New England uma escolha compensatória de Draft para a próxima temporada. No fim, os Patriots saem ganhando em qualquer uma das situações.