últimas notícias

Ataque mostra novamente dificuldades e Patriots perdem para os Texans pelo Sunday Night Football

Acompanhe os detalhes resumidos e jogadas snap-a-snap


Elenco comemorando em vitória contra os Patriots — Foto: Zach Tarrant

Valendo tentativa de ganhar vantagem na corrida pela divisão para um e a confirmação na pós-temporada para outro, Texans e Patriots se enfrentaram pelo Sunday Night Football, no NRG Stadium.


Era a sexta vez que Bill O'Brien enfrentaria seu ex-chefe e "tutor" Belichick, tendo perdido todas as outras vezes em que encontrou seu xará. Além disso, Houston poderia ganhar fôlego na disputa pela liderança da AFC South. No leste, era a chance dos Pats confirmarem matematicamente sua presença nos playoffs.


Equipe dos Texans durante aquecimento pré-jogo — Foto: Houston Texans


Resumão


A defesa de Houston talvez tenha sido o principal fator gerador da vitória. Perfeita. Marcações por zona muito bem efetuadas, matchups na maior parte das vezes vencidos pelos cornerbacks e pressão muito efetiva sobre Tom Brady. O ataque, claro, também tem seus méritos, ainda mais jogando contra uma fantástica defesa, uma das melhores da liga, hoje menos efetiva.


Por parte dos Pats, o ataque ainda não engrenou, muito longe disso. Vimos diversas vezes em que o QB e os recebedores não entendiam jogadas ou não mostravam entrosamento. O incrível número de passes incompletos de Brady evidenciam tal informação.



1° quarto


Houston foi para o three-and-out logo na primeira campanha. Uma vez com a bola, New England começou bem, com duas recepções de Julian Edelman que renderam primeiras descidas. Além disso, Barkevious Mingo cometeu falta pessoal um tanto quanto duvidosa, segundo a arbitragem. Com o unnecessary roughness marcado, os Pats já entravam na área de field goal. Sony Michel também começou com o pé direito e conseguiu o first & Goal para a franquia na linha de 6 jardas. Apesar disso, Tom Brady teve problemas e não conseguiu completar um passe e New England foi para os três pontos.


A segunda campanha dos Texans já foi melhor, conseguindo chegar ao meio-campo com poucas descidas, mas nada mais que um momento ilusório, à medida em que Kyle Van Noy sackou Deshaun Watson e acabou com as ambições da equipe na campanha.


No finalzinho do quarto inicial, já o primeiro turnover. Diferentemente do que estamos acostumados a ver, Tom Brady acabou sendo interceptado logo no começo do drive. Os Texans foram penalizados com mais uma falta e recuaram 15 jardas, indo para a primeira descida na linha de 21 jardas. Nem por isso o TD foi evitado: com passe de 13 jardas, Watson virou o jogo. Foi a 11ª recepção para 6 pontos de Duke Johnson, desde 2015, quando ingressou na NFL, a 4ª melhor marca entre corredores.


Duke Johnson comemorando pontuação com Buddy Howell — Foto: Houston Texans

Essa foi a 6ª interceptação de Tom Brady na temporada, sendo 5 fora do Gilette Stadium. Além disso, foi a primeira vez no ano em que a defesa de Bill Belichick concedeu um touchdown nos primeiros 15 minutos.


Deshaun Watson fazendo passe durante o primeiro tempo — Foto: Houston Texans


2° quarto


Logo no primeiro lance, Brady foi para o scramble e correu para 13 jardas em um third & 7. Essa foi sua maior corrida há mais de 3 anos, quando enfrentou os Bills, em Buffalo. Apesar disso, os passes curtos acabaram não rendendo e a equipe foi para o segundo punt da noite.


O destaque para a primeira campanha do quarto vai para Deshaun Watson que conseguiu se livrar por duas vezes de sacks quase "inegáveis". O quarterback se saiu bem e conseguiu colocar o time na linha de 36 jardas.


Momento em que Dont'a Hightower pressionava Watson — Foto: David J. Phillip/AP Photo

Os passes davam certo e Fells conseguiu a recepção de cerca de 15 jardas para aumentar a vantagem do time caseiro. Foram belos quase 7 minutos de posse, com direito a 88 jardas percorridas. Essa foi a 2ª campanha mais longa contra os Patriots na temporada, perdendo apenas para Filadélfia, há duas semanas.


Darren Fells comemorando recepção e mais 6 pontos no placar — Foto: Houston Texans

Uma primeira para 17 jardas não foi capaz de forçar o three-and-out de New England e dava a impressão que a franquia conseguiria diminuir a desvantagem de 11 pontos, mas Jake Martin jogou água na cerveja de Tom Brady, que foi sacado e forçado a retirar suas tropas antes mesmo do two-minute warning.


Apesar disso, ainda havia tempo para a equipe da Nova Inglaterra, que conseguiu forçar o punt dos Texans na linha de 15 jardas da defesa, com pouco mais de 1 minuto no relógio e os timeouts. Mesmo assim, o time não passou das 39 jardas de ataque e não pontuou no quarto.



3° quarto


Com menos de um minuto, Brady já era interceptado. Para a sorte dele e da equipe, houve uma segurada defensiva antes do takeaway, no entanto. Em terceira descida, Brady aumentou a quantidade de third downs não convertidos para 5 de 10 na partida.


Watson já é sacado no comecinho da campanha e se vê em uma terceira para 19. Com isso, punt.


Esta próxima campanha fluiu muito bem, mas claro que, justamente para contrariar o autor, numa 4ª para polegadas, Brady tentou conexão com Sanu, que vinha em rota slant, mas este não conseguiu a recepção e tivemos o primeiro turnover on downs do jogo, praticamente na metade do campo. Vale destacar um contato ilegal entre Sanu e o defensor, antes de tentar fazer a recepção. Nada foi marcado.


Com boa posição de campo, Deshaun Watson tenta big play de mais de 40 jardas, antes marcada como TD, entretanto, após revisão, decisão revertida para passe incompleto. Mas não seja por isso, tentemos de novo: agora completando o passe, touchdown em jogada praticamente igual. Vale informar que a defesa dos Pats havia concedido apenas 4 TDs corridos até hoje, na temporada. Apenas nesta partida, já cedia 3.


Deshaun Watson saindo do "pocket" com a bola na mão — Foto: Houston Texans

Neste drive, era evidente a necessidade de pontuar da equipe dos Patriots e nem mesmo uma terceira para 17 foi capaz de parar Tom Brady. Capaz mesmo foi a interferência de passe cometida por Julian Edelman, que conseguiu transformar uma big play em first & 20, no meio-campo. Claro, descontente com apenas 10 jardas perdidas, a ofensiva de New England resolveu dar uma segurada e ir para uma primeira para mio quilômetro... que foi convertida! Julian Edelman se redimiu e colocou a equipe na área de field goal. Um passe de 10 jardas depois, a equipe já se encontrava na redzone. Em terceira para 10, Brady se conecta com James White e revive o time na partida, 21 a 9. Indo para o 2-point attempt, a equipe tentou cavar uma falta, mas levou apenas o delay of game. Mais: as 5 jardas de recuo renderam a perda do extra-point.



4° quarto


Essa foi uma campanha importante. Precisando de duas posses, no mínimo, para pontuar, era evidente a necessidade de economizar tempo. Pela matemática, conceder 3 pontos não abalaria muito a confiança já que era possível correr atrás dos 15 pontos de desvantagem com a tentativa de 2 pontos. Quando tudo parecia ir por água abaixo, com primeiras descidas conquistadas, interferência de passe na linha de 5 jardas praticamente, as coisas foram de fato por água baixo. A farofa espalhou de vez quando os Texans conseguiram TD através de mergulho na endzone do quarterback Watson, depois de passe de DeAndre Hopkins, seguindo handoff. Que gracinha!


Daí, até mesmo para os Patriots, era praticamente impossível conseguir qualquer coisa maior. As coisas não melhoraram para New England, ainda errando muitos passes. Com isso, o tempo foi passando, junto às mínimas chances de vitória. Apesar disso, a equipe consegue dois TDs e bota muito fogo no jogo, com White e Edelman, para 11 e 20 jardas de passe para Brady, respectivamente. Daí, meu amigo, on-side kick, com 50 s no relógio. Adivinha? Na verdade não deu em nada. Quase deu, mas o jogador da Nova Inglaterra não alcançou a bola que morreu pela lateral. Final de jogo em 28 a 22. Quem diria, hein?