últimas notícias

Ataque de Seattle não joga bem e Rams batem os Seahawks pelo Sunday Night Football

Confira desde o resumo rápido até os detalhes quarto a quarto; apesar de jogo aéreo equilibrado, Rams tiveram 162 jardas terrestres, enquanto Seattle, apenas 106


Jogadores dos Rams comemorando TD de Robert Woods, no primeiro tempo — Foto: John McGillen/NFL

Em duelo divisional pelo Sunday Night Football, os Rams receberam os Seahawks, no Coliseu Memorial, em Los Angeles, às 22h20, horário de Brasília.


Em 3º lugar na NFC Oeste, com campanha 7-5 e atuais vice-campeões, os Rams vinham de bela vitória contra os Cardinals e teriam uma batalha de praticamente vida ou morte contra Seattle, já que a única forma de conseguirem irem aos playoffs seria pela vaga de wild card, até então sob o domínio dos próprios Seahawks, que obviamente ainda jogariam na semana, e Minnesota. Tendo isso em mente, era importante conseguir a vitória e, para tanto, a defesa teria que se sobressair: eles enfrentariam um candidato ao prêmio de MVP (jogador mais valioso) da temporada, Russel Wilson, líder de um ataque com média até aquele momento de 27 pontos por partida. Portanto, Aaron Donald teria que fazer presença no backfield, como o tem feito, apesar de apenas 9,5 sacks até agora, nesta temporada. Mais: Seattle ainda estava invicto longe do CenturyLink Field (6-0) na season. Além disso, Todd Gurley também teria que ser o motor da equipe, já que Jarde Goff não tem ótimas estatística aéreas.


Jared Goff se aquecendo durante o pré-jogo — Foto: John McGillen/NFL

Apesar de menos intenso, também era um momento de decisão para os Hawks, que tinham briga de cachorro grande com os 49ers, que conseguiram vitória no último lance contra os Saints, neste domingo (08). A equipe ostentava a vantagem no critério de desempate contra San Francisco e retomaria a ponta da dificílima NFC West, caso saíssem ganhadores. Além disso, vinha de sua quinta vitória seguida, contra os Vikings, por 37 a 30, no horário nobre da segunda-feira passada (02). Como dito no parágrafo acima, Todd Gurley certamente seria um dos focos ofensivos e poderia causar problemas para Seattle. O foco seria acabar com o jogo terrestre e evitar play actions e graçolas aéreas. Com isso, Jadeveon Clowney também teria que trabalhar para acabar com a "palhaçada" (primeiro da noite) e derrubar Goff, uma vez no fake e necessitando de mais tempo no pocket.


Torcida dos Seahawks marcando presença na Califórnia — Foto: 12s


Resumão


Foi um jogo com domínio total dos Rams. Com o jogo terrestre fluindo, era evidente a provável vantagem que a equipe teria com o play action. Foi assim que dois dos três TDs do time, ainda no primeiro tempo, saíram. Goff foi interceptado duas vezes seguidas e deu-se a impressão de que os Hawks voltariam à partida nos últimos quartos, mas o ataque não engrenou.


Sob o comando de Wilson, a equipe acabou perdendo a sequência de vitórias neste domingo (08) muito por conta da pressão causada pela linha defensiva e pela péssima apresentação do front seven. Além disso, o jogo terrestre foi muito bem contido pela ótima defesa de Los Angeles, jogando as expectativas de virada nas costas do QB.



1º quarto


Seattle começou bem a partida, especialmente pelo ar, mas um sack tirou a franquia da red zone (área dentro das 20 jardas do campo ofensivo), que acabou chutando o field goal de 38 jardas.


Se Russel Wilson conseguiu 48 jardas pelo ar já na primeira campanha, Goff já conseguira uma big play seguida de TD de 33 jardas, levando a equipe até a marca de 1 jarda da endzone, ao acertar conexão com o tight-end, Tyler Higbee. Depois, Malcolm Brown correu para marcar o primeiro touchdown da noite.



2º quarto


Sem ganhos únicos absurdos, Los Angeles conseguiu outro TD daquele jeito: no "sapatinho". Com bom equilíbrio entre avanços aéreos e terrestres, chegaram à marca de 2 jardas e anotaram mais seis pontos em outro fake, ao Jared Goff fingir entregar a bola ao corredor e acabar passando. O wide receiver Robert Woods conseguiu a recepção e aumentou a vantagem para a equipe caseira.


Dentro do two-minute warning, as corridas Todd Gurley e uma big play de 21 jardas conseguiram colocar o time na linha de 10 jardas do campo de Seattle. Assim, Couper Kupp recebeu para deixar 21 a 3, ao final do primeiro tempo.


Jogadores de Los Angeles celebrando "touchdown" no final do tempo — Foto: LA Rams


Intervalo


As estatísticas dos jogadores de ataque, no tempo inicial:


As marcas dos jogadores de ataque, até então — Foto: Zona Mista


3º quarto


Começa já com pick 6: pressionado pela primeira vez na partida, o QB de Los Angeles acabou sendo interceptado, em passe curto, por Quandre Diggs, retornando para touchdown, no primeiro drive do tempo. Na conversão de extra-point, Jason Myers acabou errando a direção e a bola não passou por dentro do "Y".


Na metade do quarto, Greg Zuerlein tentou field goal de 37 jardas, mas acabou sendo bloqueado e dando vida nova à Seattle.



4º quarto


É, amigo, no que parecia ser um jogo com uma cara de virada, os Rams praticamente acabaram com essa expectativa ao conseguirem duas big plays aéreas de 32 e 20 jardas, respectivamente. Somando esses ganhos aéreos às corridas insanas de Todd Gurley, Los Angeles aumentou a vantagem e deixou o placar em 28 a 9.


Na campanha seguinte e precisando de no mínimo três posses para empatar o jogo, era claro o fato de que o jogo terrestre seria "abandonado" pelos Hawks. Não à toa o jogo aéreo foi o mais requisitado e até fluiu no drive. Na verdade, os Seahawks chegaram à red zone, mas um holding e um false start recuaram a equipe até a marca de 26 jardas. No fim, chutaram e ficaram com apenas três pontos. 28 a 12 para os Rams.



Estatísticas


Confira abaixo os números dos ataques:


Números individuais das ofensivas — Foto: Zona Mista


E agora?


Vencedores, os Rams vão a 8-5, seguem vivos na briga pelas vagas de wild card e conseguem tirar Seattle da liderança da divisão. Los Angeles segue em terceiro no Oeste, enquanto os Seahawks, como dito, caem para 10-3, vão para a vice-colocação, mas continuam se classificando, pela repescagem.


Russel Wilson dentro do "pocket", em partida contra os Rams — Foto: Will Navarro\LA Rams