últimas notícias

Análise: 3 pontos que levaram o Liverpool a vencer o Norwich por 3 a 0 na estreia pelo Inglês

Jota, Firmino e Salah construíram o placar da vitória fora de casa; egípcio quebrou recorde

Por Gabriel Lins — Norwich, Inglaterra

14/08/2021 16h52

Firmino e Van Dijk celebram segundo gol marcado sobre o Norwich, neste sábado — Foto: Shaun Botterill / Getty Images

Neste sábado, o Liverpool foi até Norwich enfrentar os Canários pela 1ª rodada do Campeonato Inglês e não tomou conhecimento dos recém-promovidos: venceu pelo placar de 3 a 0, com gols marcados por Diogo Jota, Firmino e Salah. Mas quais foram os artifícios utilizados pelo Liverpool para conseguir a expressiva vitória fora de casa? É o que será detalhado.

Laterais ativos

Armas extremamente utilizadas pelo técnico Jürgen Klopp, os laterais são vitais para o funcionamento do Liverpool, pois são responsáveis pela criação, com passes em diagonal ou cruzamentos buscando o trio de ataque que se movimenta e aparece bastante por dentro. E o primeiro gol do Liverpool saiu justamente em um passe em diagonal de Alexander-Arnold buscando Salah, que dominou mal, mas contou com a sorte de a bola sobrar para Diogo Jota marcar. O estreante Tsimikas também apareceu bastante no setor ofensivo pela esquerda, chegando bastante à linha de fundo e dando muito trabalho à defesa do Norwich.

Artilharia em dia

O dono da partida não poderia deixar de ser destacado. Com um gol e duas assistências (mesmo que uma delas tenha sido sem querer), o egípcio foi bastante participativo nos ataques e era o que mais tentava, se movimentava e finalizava a gol: Salah comandou os Reds à vitória no Carrow Road. Não bastasse tudo isso, ainda se tornou o primeiro jogador da história da Premier League a marcar gol nas primeiras rodada de cinco temporadas consecutivas.

Salah celebra tento que fechou o placar no Carrow Road — Foto: Shaun Botterill / Getty Images

Bolas paradas

Acabaram sendo uma arma efetiva do Liverpool, que trouxe muitos problemas para o Norwich pelo ar. Diretamente ou indiretamente, os Reds conseguiam levar muito perigo a partir de principalmente cobranças de escanteio – foi assim que originou chances claras como uma cabeçada de Diogo Jota e outra chance perdida por Matip, além, claro, do gol de Salah, após a defesa dos Canários afastar mal o perigo.