últimas notícias

3️⃣ aprendizados do segundo ato da 'era Rangnick' no Manchester United



Cristiano Ronaldo e Fred celebram o gol da vitória em Norwich — Foto: Divulgação / Manchester United

Por Gabriel Lins – 11 de dezembro

Sem tanto brilho quanto na estreia, o Manchester United de Ralf Rangnick foi visitar o Norwich City, no Carrow Road, neste sábado (11) e, mesmo com dificuldades, bateu os Canários por 1 a 0 – Cristiano Ronaldo marcou cobrando pênalti e deu a vitória aos visitantes.

Os Diabos Vermelhos criaram algumas oportunidades, mas permitiram também que o adversário incomodasse e chegasse com certa frequência próximo ao gol defendido por De Gea, principalmente no segundo tempo.

Mas o que exatamente deu para pescarmos no jogo?

 

Padrão sendo formado?

Rangnick optou por repetir a escalação e a formação utilizada no jogo contra o Crystal Palace: Um 4-2-2-2, com Fred e McTominay fixos como volantes e revezando na composição durante as saídas de bola com três jogadores, Bruno Fernandes e Sancho atuando como meias com liberdade para cair por dentro e Cristiano Ronaldo e Rashford mais à frente. A amplitude foi feita por Dalot e Alex Telles, pelas laterais.


 

Ainda há pontos negativos...

O United pecou na marcação, especialmente pelos lados, com os laterais tomando muitas bolas nas costas e dando liberdade para Giannoulis e, principalmente, Aarons pelo lado esquerdo de defesa. Além disso, não conseguiu impor uma pressão efetiva na saída de bola do Norwich, sobretudo com Billy Gilmour, que teve extrema tranquilidade para reger o meio-campo e armar jogadas vindo de trás. A equipe também apresentou dificuldades no setor criativo, mesmo tendo mais a bola, com destaque às atuações abaixo da crítica de Sancho e Bruno Fernandes (mais no primeiro tempo), os homens responsáveis pela geração de jogadas.



 

...mas também há motivos para comemorar!

Destacam-se as atuações da dupla de volantes dos Red Devils, McTominay e Fred, especialmente por parte do escocês, que foi muito importante defendendo a grande área ao fazer bloqueios e desarmes importantes, além de ter sido bastante preciso nos passes longos que muitas vezes desafogavam o time de Manchester. Contudo, o grande personagem da partida foi o goleiro De Gea. Fez muitas defesas importantes e evitou por diversas vezes que o gol de empate saísse. Foi a segunda vitória consecutiva do United na Premier League – a segunda em três jogos com Rangnick –, mas ainda há trabalho a fazer. O alemão vai tentar continuar o bom início na terça-feira (14), contra o Brentford, em Londres.